Levantamento da Conascon mostra que servidores estariam recebendo um valor de R$ 10,5 mil, o que na prática é em média R$ 1,1 mil. Foto: Arquivo/Prefeitura de Boa Vista

Vereadores de Boa Vista aprovaram, nesta terça-feira (13), o pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar possíveis irregularidades no contrato licitatório firmado entre a prefeitura e a empresa Saneamento Ambiental Ltda (SANEPAV).

O pedido de investigação foi feito após publicação de uma reportagem no portal de notícias Roraima 1, no último dia 3 de agosto. Assinaram o requerimento os vereadores Ítalo Otávio, Dr. Magnólia, Mirian Reis, Genilson Costa, Wagner Feitosa, Linoberg Almeida, Aline Rezende, Pastor Jorge e Nilvan Santos.

Apesar de ter protocolado o documento solicitando a abertura da CPI, o presidente da Casa, vereador Mauricélio Fernandes (MDB), não entendeu como suficiente o requerimento assinado por nove vereadores – mais que um terço do total conforme solicita o regimento interno -, e encaminhou o pedido à corregedoria da Casa para análise.

O vereador Ítalo Otávio (PR) informou, por meio da assessoria de comunicação da Câmara de Boa Vista, que no dia 8 de agosto protocolou na Confederação Nacional dos Trabalhadores em Serviço, Asseio e Conservação, Limpeza Urbana, Ambiental e Áreas Verdes (CONASCON), o oficio N° 031/2019, a fim de solicitar informações sobre os valores e sua utilização.

No documento enviado como resposta, constou que a empresa Sanepav recebe R$ 6.358.606,58 por mês para pagar 650 funcionários, o correspondente a cerca de R$9.500,00 por funcionário ao mês.

O vereador diz que teve acesso aos contracheques dos funcionários. “Na Sanepav o valor do salário pago é de R$1.027,14, mais alguns benefícios, totalizando a quantia de R$1.231,00”, informou a assessoria da Casa.

Independente do parecer da procuradoria da Casa, os vereadores devem protocolar na sessão plenária de amanhã [14], um novo requerimento com todos os documentos reunidos pelo grupo.

Comentários no Facebook