Foto: Antônio Diniz

Como parte do cronograma do programa Justiça Presente do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que tem a proposta de enfrentar e apresentar soluções para os problemas do sistema penitenciário no Brasil, está em andamento no TJRR (Tribunal de Justiça de Roraima) a efetivação e melhoramento do Seeu (Sistema Eletrônico de Execução Unificado).

A ferramenta já funciona no Poder Judiciário estadual desde o ano de 2016; porém, agora passa por aperfeiçoamento e, com isso, será concluída nas comarcas do interior e da capital a transição dos processos das Varas de Execuções Penais, que antes tramitavam por meio do Projudi (Processo Judicial Digital), para o Seeu.

O programa foi desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça e permite o controle informatizado da execução penal e das informações relacionadas ao sistema carcerário brasileiro em todo território nacional.

Para conduzir e acelerar a transição entre os sistemas, está em Roraima o juiz coordenador destacado pelo CNJ, João Matos Junior. Ele disse que a previsão é que todo o trabalho seja concluído em, no máximo, 30 dias, que é o tempo estipulado pelo Conselho e acordado entre os Estados.
“Estivemos há um mês no pré-operacional e definimos a estratégia de implantação do Seeu em Roraima, onde constatamos que o sistema é adotado desde 2016. Agora vem a fase do cadastramento e implantação dos processos que ficaram de fora da utilização do Seeu, tanto nas comarcas do interior quanto na capital”, detalhou.

Para o público externo não muda muita coisa. Eles apenas terão que acessar o site do TJRR e,  no lugar de entrar no Projudi no endereço https://projudi.tjrr.jus.br/projudi/, quando o processo for de origem das varas de execuções penais o acesso será pelo Seeu, que já está no site do Poder Judiciário por meio do link:https://seeu.pje.jus.br/seeu/processo/consultaPublica.do?actionType=iniciar.

O juiz titular da Vepema (Vara de Penas e Medidas Alternativas) do TJRR, Alexandre Magno Magalhães, considera essa migração algo que vai agilizar os trâmites processuais. “De fato, é algo que vai facilitar. E esse alinhamento que o CNJ está promovendo em Roraima é fundamental para todos ficarem familiarizados com o programa. Temos certeza que só trará benefícios e agilidade”, opinou.

SEEU – Por meio do Seeu é possível a visualização em uma única tela de informações referentes a processo, parte, movimentações e condenações; cálculo automático da pena, com explicitação de frações e agendamento automático dos benefícios previstos na Lei de Execução Penal; acompanhamento eletrônico dos prazos de progressão, oferecendo em tempo real o quadro das execuções penais em curso; pesquisa com indicativos gráficos para demonstrar a situação do sentenciado; produção de relatórios estatísticos e acesso através de qualquer computador ou telefone conectado à internet.

Promotores de justiça, defensores públicos, advogados, gestores prisionais e todos os demais que estejam envolvidos no processo de execução penal podem interagir com a ferramenta de trabalho.

Comentários no Facebook