Foto: Arquivo CMBV

Vereadores que deram apoio à criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Lixo, na Câmara Municipal de Boa Vista, estão sendo alvos de campanhas negativas e de ataques ostensivos nas redes sociais. Um dos alvos principais é o vereador Ítalo Otávio (PR), autor do mandado de segurança que pede à Justiça que determine a instalação da CPI do Lixo. O recurso judicial foi protocolado, segundo ele, depois de seguidas manobras feita naquela Casa legislativa para impedir a investigação do contrato de coleta de lixo feita entre a Prefeitura e uma empresa paulista, a Senapav.

Na sessão da Câmara na manhã desta terça-feira, Ítalo Otávio chegou a apresentar um requerimento que pedia à Comissão de Ética que abrisse um procedimento para apurar as denúncias feitas contra ele próprio sobre o uso de verbas indenizatórias e diárias. A finalidade seria esclarecer denúncias caluniosas feitas contra ele por meio de notícias falsas, as chamadas fake news, divulgadas por sites e blogs que têm como conteúdo principal divulgar matérias positivas da Prefeitura de Boa Vista.

Depois que ele foi orientado pela Mesa Diretora que o requerimento teria que ser assinado por no mínimo 1/3 dos vereadores e que esse pedido poderia ser feito por um ofício à Presidência da Câmara, Ítalo Otávio retirou o requerimento e anunciou que irá elaborar o ofício, o qual deverá ser assinado também por outro vereador alvo de ataques caluniosos, Genilson Costa (SD).  “Sou o maior interessado em mostrar a lisura dos meus atos”, disse Ítalo ao justificar seu posicionamento em querer que a Comissão de Ética apure sua conduta parlamentar que vem sendo atacada por fake news.

O vereador fez questão de frisar que sites ligados à Prefeitura de Boa Vista estão à frente dos ataques dos quais ele passou a ser alvo depois que apresentou o mandado de segurança para que seja criada a CPI do Lixo. Disse que providências judiciais também serão tomadas para reparar os danos morais causadas a ele e a outros vereadores por meio de fake news, a fim de que a opinião pública não seja influenciada por mentiras.

“Os ataque começaram logo depois após a gente ter entrado com o mandado de segurança para que a CPI seja instalada, uma vez que ela foi arquivada pela Câmara. O alvo dos ataques são os vereadores que se mantiveram a favor da criação da CPI. Anteriormente tinha sido o vereador Genilson, antigamente foi o vereador Linoberg e o vereador Pastor Jorge, e hoje eu sou alvo deles”, dizendo que a finalidade é manipular a opinião pública para que fique contra os vereadores que buscam fiscalizar a Prefeitura de Boa Vista.

AÇÃO JUDICIAL  O Professor Linober (Rede) é outro vereador que já foi alvo de ataques e que constantemente se torna vítima de campanhas negativas nas redes sociais por investigar atos da Prefeitura. Na sessão desta manhã, ele comentou ser necessário que os vereadores possam agir como um grupo coeso contra as fake news a fim de que os parlamentares possam desempenhar suas funções como legisladores. Por isso orientou que os vereadores alvos de ataque também recorram  à Justiça para que os autores de notícias falsam sejam punidos com pagamento de indenização.

O vereador conseguiu, na Justiça, uma ação favorável para que o autor de ataques por meio de notícias falsas, nas redes sociais, pague uma indenização a título de reparação pelos danos causados a sua imagem e a sua honra. “Hoje esse caso está resolvido, inclusive com o pagamento da indenização parcelado”, disse ao relembrar das publicações que utilizaram inclusive montagem de fotos para propagação de fake news.

Prefeitura de Boa Vista – Procurada para se manifestar sobre as acusações, a Prefeitura de Boa Vista não se pronunciou sobre o assunto.

Comentários no Facebook