Falta d’água e baixa pressão são realidades dos moradores do Treze de Setembro, em. Boa Vista. Foto: Roraima 1

A moradora da rua São Martinho, no bairro Treze de Setembro, em Boa Vista, Janaína Pereira, procurou o Roraima 1 na tarde desta segunda-feira (7), para reclamar do atendimento prestado pela Companhia de Águas e Esgotos de Roraima (Caer) aos moradores da região.

“Pelo menos todo fim de semana ficamos sem água aqui no bairro. Um servidor da Caer já tinha me informado que eles diminuíram a pressão da água em pontos do bairro para poder abastecer os quatro abrigos para imigrantes que tem aqui”, diz.

Janaína ainda diz que todas as vezes que tenta relatar algum problema de abastecimento pelo call center, a resposta é que não consta nenhuma anormalidade no sistema. “Eles pedem o endereço e dizem que vão mandar uma equipe no local. Nunca vi aqui na minha rua, nenhuma equipe”, enfatiza.

Problema constante

Os moradores da rua de Janaína, compartilham alguns dos problemas ocasionados pela falta d’água na localidade. Em uma das conversas, uma vizinha diz que só é possível lavar roupas depois das 21h. Em outro trecho, a mulher também diz que “ontem à noite nem água tinha para tomar banho”.  Hoje de manhã a situação se repetiu.

Caer 

A Companhia de Águas e Esgotos de Roraima (Caer) informa que não registrou nenhuma reclamação por meio do 0800 280 9520, nos últimos oito dias, referente ao endereço citado pela reportagem e reforça que disponibiliza os canais de comunicação para que o usuário entre em contato, munido da matrícula e informe o endereço e número na residência para que a empresa envie uma equipe até o local e solucionar do problema.

Os canais de comunicação são ofertados justamente para que a comunidade mantenha contato direto com a empresa, e informe a demanda para a mesma seja resolvida com agilidade.

Ratifica que é necessário o contato com os canais da empresa, bem como a informação do endereço completo para que seja enviada uma equipe técnica ao local que fará a verificação e tomará as providências necessárias.

Comentários no Facebook