Empresa fica localizada no bairro São Vicente, zona Sul de Boa Vista. Foto: Reprodução

O Ministério Público de Roraima instaurou, nesta quinta-feira (17), um procedimento para investigar as responsabilidades da empresa de gás Oxigênio Centro, onde houve explosões de gás e quatro pessoas morreram em Boa Vista.

A investigação é coordenada pela Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor e da Cidadania, “para apurar a responsabilização cível do sinistro que resultou nas explosões em uma loja de distribuição de oxigênio”, diz o MP.

A empresa de gás não tinha alvará de funcionamento e a fábrica de gás estava sem licença, informou a procuradora da prefeitura de Boa Vista, Marcela Medeiros. Já o diretor executivo da Defesa Civil Estadual, coronel Cleudiomar Ferreira, informou que auto de vistoria da empresa estava vencido.

Quatro pessoas morreram e duas ficaram feridas nas explosões de terça-feira (15). As vítimas foram o empresário e cliente Emanuel Batista Silva, de 60 anos, o auxiliar de produção, Ariel Mateus Da Silva, 20, o empresário Plínio Ricardo Anderson Rogelio Schuertz, 42, e o auxiliar de produção Yorvis De Jesus Leon Alchacoa, 48.

O incidente ocorreu na avenida Glaycon de Paiva, no bairro São Vicente, zona Sul da cidade. Relatos são de que as explosões ocorreram por volta de 10h. Ainda não se sabe as causas do ocorrido.

Comentários no Facebook