Foto: acervo pessoal

Conhecida pelas paisagens exuberantes, a área do baixo Rio Branco é o destino mais procurado em Roraima dos praticantes da pesca esportiva. E a partir desta sexta-feira (18), diversos grupos de pescadores profissionais e amadores estão se dirigindo até a região. Está aberta a temporada de pesca esportiva em Roraima.

Segundo Jadson Santos, praticante do esporte, são esperados visitantes de várias partes do Brasil e até de fora do país, em busca de espécies típicas da região, como o Tucunaré Açu, bagres, entre outros.

“O fundo comunitário vem trabalhando para desenvolver o turismo de pesca esportiva já que isso desenvolve a região e gera vários empregos neste período forte de turismo, que vai de outubro à fevereiro, em Santa Maria do Boiaçu, no baixo Rio Branco”, disse.

Ainda segundo Jadson, já que a movimentação turística aumenta consideravelmente, a pesca esportiva tem ajudando a preservar a natureza e fortalecer a economia na região. “Só pra se ter uma ideia, as empresas especializadas fecham os pacotes com deslocamento aéreo, hospedagem e acompanhamento profissional de uma semana. Isso é a renda de muita gente nas comunidades”, destacou.

Qual a diferença entre a pesca esportiva e a predatória?

Ao contrário da pesca predatória ou de subsistência, em que o pescador depende diretamente da prática para a sua sobrevivência, a pesca esportiva tem regras e convenções, visando tornar o esporte mais saudável e com menor impacto para o meio ambiente e também para despertar a competitividade entre os praticantes.

Nessa modalidade, o objetivo do pescador não é comer ou vender o peixe, que deve ser devolvido com vida à água, caracterizando o esporte pela busca por desafios maiores, peixes fisgados de maiores dimensões e a dificuldade de sua captura, mas também sendo necessário tomar cuidados para que os peixes possam ser devolvidos ao seu hábitat sem maiores danos.

Comentários no Facebook