Governador Antonio Denarium deu início a uma verdadeira guilhotina nos aliados do presidente Jair Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa)

 

Está havendo uma verdadeira degola dos militares do Exército que ocupam cargos no Governo de Roraima, o que indica que o governador Antonio Denarium (sem partido) não quer mais a companhia de ninguém ligado ao presidente Jair Bolsonorado (sem partido), apesar dele ter atingido o pico de sua popularidade devido ao pagamento do benefício social durante a pandemia.

A guilhotina já passou pela cabeça do secretário estadual da Fazenda, coronel Marcos Antônio Alves, que foi substituído por Marcos Jorge, que desistiu de ser candidato a vice-prefeito para poder ser nomeado na Sefaz. A partir daí mais cabeças estão sendo cogitadas para rolar nos próximos dias, todos com ligação a Bolsonaro.

Está na lista da guilhotina o secretário estadual de Segurança Pública, o coronel Olivan Pereira de Melo Junior, que poderá abrir espaço para que assuma a titularidade da pasta o coronel reformado da Polícia Militar Edison Prola. Assim como Marcos Jorge, Prola também é ligado à chapa da candidata a prefeita Shéridan de Oliveira, deputada federal pelo PSDB.

Também ficaram com a cabeça a prêmio os seguintes coronéis: o adjunto da Sefaz, Manoel Sueide Freitas, e o adjunto da Secretaria Estadual do Trabalho e Bem-Estar Social (Setrabes), Roger Herzer. E já foram guilhotinados outros militares do Exército que são ligados a Bolsonaro, a exemplo do ex-presidente da Comissão Setorial de Licitação da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), Marcos de Carvalho.

Como pode ser notado, está havendo um verdadeiro “limpa” em todos aqueles militares que gozam de estrita confiança do presidente da República e de alta patente do Exército, os quais foram indicados para ajudar Denarium a sanear o Estado.

Há um descontentamento muito forte dentro da ala bolsonarista ligada ao Governo de Roraima, que estão surpresos com o que está havendo com o desligamento dos militares que estiveram à frente de setores importantes e críticos no início da administração de Denarium.

Essa ala afirma que o governador está sendo influenciado a tomar decisões para beneficiar candidaturas sem pensar nas ligações políticas com o Governo Federal, o que poderá ser fatal não apenas para futuros apoios ao governador, mas no tratamento do Estado frente a esse momento delicado da economia e o que ainda virá pós-pandemia.

Só o tempo vai dizer se estas costuras políticas poderão comprometer o futuro de Roraima. E não pode ser esquecido é que a corda arrebenta sempre do lado mais fraco. Esse alguém que sempre paga a conta no final é o povo. É aguardar para ver as cenas dos próximos capítulos.

*Colunista

 

 

 

2 comentários

  1. Fake. Vá pesquisar rapaz, deixe de ser tendencioso. O secretário pediu pra sair, quer voltar para terra dele. Vergonhoso esse jornalismo.

  2. Poxa ! O governo federal dando todo apoio pro Denariun e eu não acredito que ele vá deixar de lado o presidente pra se aliar ao pSDB , da sem futuro Sherida … se já tinha poucos votos agora com essa de detonar Bolsonaro vai afundar de vez … e o governador eu acredito que não vai se sujar com Sherida … sem voto , e sem postura , sem marido e sem rumo 🙈

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here