Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Roraima é o terceiro estado do país que mais detecta casos de coronavírus em pessoas de fora do estado. É o que indicam dados coletados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), avaliados por profissionais sanitários a partir dos fluxos de casos e óbitos encaminhados pelas secretarias estaduais de Saúde até 14 de setembro.

Com relação aos diagnósticos positivos, Roraima tem um total de 1,9% de detecção em “forasteiros”, perdendo para Santa Catarina, onde o volume percentual corresponde a 3,2%, e  de Minas Gerais, com 2,6%.

De acordo com a Fiocruz, a alta taxa de notificação em Roraima se dá por conta da migração venezuelana. No entanto, os 887 casos “estrangeiros” registrados pela pesquisa indicam, a princípio, uma subnotificação, já que a Polícia Federal estima que cerca de 500 pessoas passam todos os dias pela fronteira do Brasil com a Venezuela e que poucas delas sejam submetidas a testagem para detecção do vírus.

Se representasse um  município, estaria a frente de cidades como São João da Baliza (821),Bonfim (782), Alto Alegre (640), Amajari (402), Iracema (382), Ipatinga (8.496), Normandia (360) e São Luiz (244), de acordo com dados da Secretaria de Estado de Saúde divulgados nessa segunda-feira (12). Em média, são cinco casos “registrados” por dia desde 21 de março, quando os primeiros testes positivos foram registrados em território roraimense.

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here