Deputado Hiran Gonçalves diz que Bolsonaro vai apoiar sua candidatura ao Senado, mas não prova. Foto: reprodução/Instagram

O deputado federal Hiran Gonçalves (PP), pré-candidato ao Senado, usou as redes sociais nesta terça-feira (7) para dizer que o presidente Jair Bolsonaro (PL) “não apoiaria em hipótese alguma” a chapa de Teresa Surita (MDB) ao governo de Roraima. No vídeo divulgado, o deputado acusa o presidente do MDB de Roraima, Romero Jucá, também pré-candidato ao Senado, de mentir sobre o apoio que, segundo Hiran, será dado a ele e ao seu correligionário, o governador Antonio Denarium (PP).

“Você (Jucá), Renan (Calheiros, do MDB), foram os responsáveis por criar aquela CPI risível para derrubar o governo”, diz o parlamentar durante o vídeo, sem se aprofundar nas acusações, em tentativa de minar os acordos partidários já estabelecidos. Romero Jucá não é senador desde 2018, portanto, nenhuma CPI foi instalada pelo ex-parlamentar no período em que Bolsonaro está a frente da presidência.

Apoio partidário

Acontece que o deputado Édio Lopes (PL), presidente do partido de Bolsonaro em Roraima é o pré-candidato a vice-governador na chapa de Teresa Surita, inviabilizando qualquer apoio do presidente da República ao grupo Progressista. Com fotos abraçado ao presidente Bolsonaro, rotineiras em quaisquer reuniões entre parlamentares e Bolsonaro,  o deputado Hiran Gonçalves fala que o partido dele e do govenador é o único que pode trazer a governabilidade para o presidente Bolsonaro em Roraima.

Esquecendo-se ainda dos acordos partidários, e da força do PL nacional que decide em qual palanque o presidente irá subir na campanha eleitoral, Hiran Gonçalves apesar de desafiar Romero Jucá a gravar um vídeo com Bolsonaro declarando o tal apoio, também não mostra que possui essa abertura com o Chefe do Executivo Nacional. Nenhum sinal ou confirmação de apoio de Bolsonaro à candidatura de Dr. Hiran foi apresentado pelo parlamentar.

Fontes ligadas à direção nacional do partido do presidente, o PL,  informaram que o assunto já foi discutido pela cúpula nacional, e o que está acordado até então é que, havendo divergências, como já adiantado pelo Roraima 1, para evitar complicações político-partidárias com sua própria sigla, o presidente não deverá anunciar apoio a outro grupo em Roraima que não seja o do Partido Liberal – neste caso, o de Édio Lopes.

Apesar do desafio proposto por Dr. Hiran ao ex-senador Romero Jucá, o médico também não divulgou nenhum vídeo ou mensagem que confirme o apoio do presidente Bolsonaro à sua candidatura ao Senado Federal.

Segundo as pesquisas, Hiran aparece colado em Telmário Mota (PROS) na disputa pelo segundo lugar nas intenções de voto para o Senado em Roraima. À frente, liderando em todos os cenários com folga, aparece o ex-senador Romero Jucá (MDB).

Deixe seu comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here